segunda-feira, 25 de julho de 2011

Sem limites

Confusa, perco a ideia do que é certo e o que é errado. Não sei se é certo haver tanto sentimento no que escrevo. Não sei se é errado temer sentimentos.
Minhas dúvidas estão ligadas por linhas inexplicáveis, e as respostas correm contra o tempo. Difícil saber a verdade, que é inexistente. 
Não há conclusão ou decisão. Neste mundo confuso, meu único refúgio são estas belas e únicas palavras. Onde nada importa. Não é certo nem errado, ser você mesmo, através delas dizer ao mundo quem és, o que sente. Não há limites, não há certezas. O que há é a paixão, por este universo tão belo que é a escrita.

2 comentários:

chad new new disse...

nossa luiza, até me arrepiei, essas palavras são suas?? vc me autoriaza a usa-las em minha musicas???? com toda toda dedicatoria claro!

, luiza delamare disse...

Oi, obrigada mesmo. E autorizo sim... Sem tirar os direitos autorais hehe.