segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Gotas da memória.

A lagrima que rola em meus olhos, é tão profunda quanto meu coração. Ela desce sobre minha face, e cai, sem rumo. Memórias perdidas naquela pequena gota, que esperamos nunca mais encontrar.
Memórias que procuramos, e muitas vezes não encontramos. E talvez, quando ouvimos aquela música, ou olhamos aquela foto, lágrimas caem de nossos olhos, sem rumo.
Cada momento, cada coisa vivida, cada dúvida, cada alegria, cada tristeza, cada perigo... Tudo ali, em gotas, caindo de seus olhos. E você chora, chora, até acordar. E ve, que de mais nada adianta suas lágrimas, que aquilo já passou, e foram memórias, foram um passado.
E por medo de encarar o presente, você começa a lembrar de tudo, o medo que te domina cada vez mais, a faz desistir de um futuro melhor.
Você não vive mais naquele conto de fadas, você agora vive em uma cidade pequena, em que as coisas tem que seguir. Que a rotina de todos é a mesma, sem graça. Mas você ainda está ali, chorando, sem saber o por que. O medo, a aflição, a tristeza, e a decpção, deixam você maluca.
E então, você se pergunta 'razões ou emoções?'. E ali, tão emocionada, você usa a razão. Você chora mais ainda, mas sabe que fez a coisa certa, e que vai ter um futuro, longe de memórias passadas.

2 comentários:

Anônimo disse...

teeeeeexto lindôô o que vc feez *--------*

- luiza delamare disse...

obriigada *-*