segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

O perigo mais seguro de minha vida.


- Pronta? - Perguntou-me. Estendeu sua mão, esperando que eu alinhasse à minha.
Por um momento encontrei seu olhar, sincero, que mostrava-me a diferença, a paz. A preocupação que se escondia no canto dos lábios, visivelmente ansiosa. E o medo, destacado nos batimentos cardíacos. Eu tinha uma escolha a fazer, perigosa. Ambos poderiam realmente se machucar, porém, mais doloroso seria passar o resto de minha vida imaginando o que teria acontecido...
Fechei meus olhos, respirei, e admiti: Já era a hora. De correr riscos; De fazer o que sempre quis, sem importar-me com os outros; De dar uma chance a mim mesma, de tentar algo novo...
E em questão de segundos, nossos dedos já estavam alinhados, e meus pés já não tocavam mais o chão. Quando percebi, era tarde para retornar... Porém, o medo não dominara meu corpo. O destino me surpreendeu, de uma maneira inexplicável... Afinal, quantas pessoas no mundo, sentiriam-se seguras ao correr um grande perigo?

2 comentários:

Pérola Irregular disse...

Adorei seu texto!
A imagem completamente compatível, representa muito bem a história.
E, de fato, é preciso arriscar algumas vezes. Quando avistamos uma boa oportunidade, é precisar se jogar e agarrá-la. Afinal, as oportunidades estão sempre aparecendo, mas se vão com facilidade. Se você não as segura, ela se esvai pela ponta de seus dedos.

Beijos!

Luiza Nogueira Delamare disse...

Obrigada, viu? É bom ler, e saber que há alguém com os mesmos pensamentos que os meus...
Beijos, e apareça aqui sempre que quiser!